sábado, 29 de março de 2014

Nossa Primeira Viagem Internacional em Família

16, 17 e 18 de Dezembro 2011

Foi tudo decidido as pressas num impulso de uma mega promoção de passagem aérea, a extinta cia aérea Pluna fazia 75 anos e estava com promoção de passagens para Montevideo a U$75 ida e volta, resolvi dar uma conferida se de fato conseguia fazer reservas nessa tarifa, coloquei o primeiro final de semana das minhas férias e bingo, consegui 03 lugares na promoção, a do João ainda com desconto para criança, emiti logo .
Com as passagens compradas, começou a saga para escolher uma hospedagem, pesquisei sobre a localização na cidade e entendi que para nós a melhor opção era ficar em Pocitos ou Punta Carretas   na região da Rambla, por ficar mais perto dos shoppings e restaurantes e mais facilidades a noite.
Tentei alguns descontos ou alguma cortesia para agente de viagem nos hotéis dessa região, tudo negado, então parti para o que poderia pagar, nossos já conhecidos, albergues. Aqui a dificuldade foi achar um que aceitasse criança, alguns não aceitavam e já estava achando que teria que pagar um hotel mesmo, quando achei o Montevideo UP, que aceitou numa boa nosso menino, reservamos um quarto casal com banheiro compartilhado. O pagamento do sinal para garantia da reserva foi através do Western Union e o restante no check out, U$ 50 a diária.

Nosso voo saia de Campinas, pegamos um ônibus em Bauru até a cidade de Campinas, da rodoviaria compramos o bilhete para o ônibus que vai até o aeroporto, um ônibus executivo que vai direto por R$ 9,70 por pessoa, não pegamos transito e a viagem durou 30 minutos no máximo.

O aeroporto estava bem tranquilo, naquele dia só tinha o nosso voo internacional, a espera foi bem melhor do que imaginava, apesar de longa e da ansiedade que estávamos. Como ficamos com um portão de embarque todo para nós, o João correu, brincou de carrinho, gastou energia ali, e quando começou a chegar as pessoas a pilha dele foi acabando e não resistiu, apagou, bem na hora de embarcar, só foi acordar quando estavamos sentando dentro do avião, e acordou com uma carinha gostosa do tipo, tô mesmo no avião?!




Era o primeiro voo dele,  mexeu em tudo é claro, abaixou o banco, subiu, abaixou e levantou a mesinha "trocentas" vezes, até a hora de apertar os cintos, fez tudo direitinho, as aeromoças passaram checando todos e pediu para o pai arrumar o banco dele que tava inclinado, o João pensou que ela estava dando uma bronca no pai e ficou apreensivo, ficou com medo de levar "bronca" também e obedeceu o voo todo. Na decolagem enchi ele de balas, assim não tem como não gostar de voar né? Já no pouso demorei para dar a bala e ele reclamou de dor no ouvido. Reclamar é uma maneira discreta de falar, na verdade ele gritou de dor( mas ele é exagerado mesmo), depois das balas melhorou e ficou tudo bem novamente.
O serviço de bordo era pago, como era um voo curto e no meio da tarde, só tinha snacks como opções de lanche, compramos apenas uma batata chips.

Chegamos em Montevideo no final da tarde e com chuva, estava até frio. Como o ônibus circular que faz aeroporto - Punta Carretas não tem com tanta frequência, resolvemos não esperar mais e pegamos um taxi. Ual, foi bem caro, R$100,00, esse trecho é muito caro para se fazer de taxi, mas dentro da cidade, o taxi fica baratinho.

Enfim chegamos no albergue, a localização é ótima, a casa bem interessante, mas a limpeza deixava a desejar e o cheiro de cigarro era bem desconfortável, já não estou mais acostumada a sentir cheiro de cigarro em ambientes fechados, como aqui no Brasil é proibido, nem pensei sobre isso, mas logo na chegada fizemos o check in com os cigarros rolando solto com a equipe de funcionários, que eram todos de uma família, um ambiente bem familiar.
Tive vontade de desistir de ficar a ali com medo de atacar a bronquite do João, mas como era noite, estávamos cansados depois de viajar o dia inteiro, resolvemos ficar  e deu tudo certo.


Depois de um banho saímos para jantar no shopping Punta Carretas, bem pertinho do hostel.
Ficamos encantados com a decoração de Natal do shopping, tudo muito bonito e  podiamos "participar"  descobrindo a decoração por dentro.



Conseguimos Jantar num restaurante Naturalista, um dos poucos que aceitaram nossos reais, pois não tínhamos trocado a moeda pelo peso ainda.

Dormimos bem e no dia seguinte a chuva ainda estava lá. Tomamos o café da manhã do hostel, café ruim e fraco, mas a geleia caseira de pessego e o doce de leite hummm deliciosos !

Saimos para um passeio, estava ventando bastante e caindo uma chuvinha fininha, Edison resolveu voltar para o hostel e pegar um casaco, nisso eu e o João continuamos nossa caminhada pela rambla, acabamos nos desencontrando, ficamos mais de uma hora sem contato, nos encontramos novamente na praça Beatriz, onde acontece uma feira aos sabados, tem de tudo , roupas, souvenirs, verduras legumes, e frutas. No meio da praça tem um playground, e o João aproveitou um pouco,afinal depois da caminhada ele merecia brincar !!!






Seguimos para o centro da cidade, mais especifico ao "Mercado del Puerto", que fica em frente ao Porto e abriga diversos restaurantes servindo o prato tipico Uruguaio,o Assado. Como é um galpão fechado cheio de "churrasqueiras, você acaba saindo de lá "defumado"depois de um belo almoço. Escolhemos um restaurante que tinha uma mesa legal para sentar, pois estava bem cheio o. Edison pegou Meio Assado e veio um pedação de carne, parecido com uma costela e eu fiquei com um frango assado, acompanhado de batata frita e salada.






Na saída a chuva tinha apertado um pouco, andamos na redondeza e pegamos um ônibus para um shopping, lá trocamos um pouco de pesos e fomos ao mercado, compramos um macarrão para cozinhar no albergue pois com a chuva apertando não sairíamos a noite para jantar. Na frente do Shopping o João avistou um brinquedão que ficava dentro de um Mc Donald's, fomos até lá e ele se divertiu nos brinquedos.



Dia seguinte Domingão, já não estava mais chovendo, mas o tempo estava bem fechado e ventava forte. Caminhamos pela Rambla novamente, porém em sentido contrario do outro dia, nosso objetivo era chegar no Farol.
Foi uma caminhada bem gostosa, o tempo foi abrindo e esquentando. Pena que já estava na hora de voltar.





Chegando no hostel encontramos com um casal de Brasileiros que também pegariam um voo perto do nosso horário, não pensamos duas vezes e rachamos um taxi com eles. Coisas como essas só ficando em Albergues para compartilhar !!

Almoçamos no aeroporto no Mc Donald's. Já dentro da sala de embarque João arrumou uma amiguinha, que estava a horas esperando um voo, ela filha de Brasileira mas de pai Argenti
no, já estava acostumada com as esperas de aeroporto e a mãe dela também, a criança tinha tantos brinquedos que parecia uma sala vip para crianças. João nada bobo foi se chegando e brincando com a pequena que mal falava, assim as horas de espera passaram que nem sentimos.

Chegamos em casa cansados mas renovados, João cheio de coisas novas para contar.
Ele cativou as pessoas por onde passava e dizia: Hola, que tal? Fez amigos no hostel, no aeroporto e até na policia federal.
E quem disse que ele queria voltar? Ele dizia que iria ficar na casa nova, o albergue, ele adorou, mesmo sendo um albergue bem meia boca.
Esses são os olhos das crianças, vem só os pontos positivos e qualquer coisa em família os divertem.

Tem como não amar viajar com eles?? !!!

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Nossa visitas ao Rio de Janeiro

JUNHO 2010

Filho de Carioca não podia deixar de conhecer a cidade Maravilhosa não é mesmo?? Até que demorou um pouco para conseguirmos alguns dias, aproveitamos o feriado de Corpos Christi e ficamos um final de semana prolongado.

Pegamos o ônibus de Bauru a noite, são 12 horas de viagem, chegamos com o início do dia na terrinha do papai.

Ao desembarcar fomos direto para a casa de uma amiga do Edison que nos hospedou .Como ainda era bem cedo tomamos café da manhã com eles e saímos para dar uma volta em Copacabana, era dia de feira bem pertinho dali, andamos vendo as flores, as frutas  e o povo carioca em dia de feriado .
Enfim a praia, o João ficou maravilhado em ver tanta areia e o mar.



 Saiu correndo na areia e indo direto para o Mar, sem medo, na inocência da criança indo descobrir o novo.
Tudo bem que no Rio não faz muito frio e o dia estava lindo, mas era outono e estava fresquinho, dia gostoso, porém não dava para encara o mar de Copacabana com aquela água gelada. O jeito foi molhar apenas os pés.


João correu, pegou a bola das pessoas que brincavam na areia, estava se sentindo livre naquela imensidão de areia.


Essa viagem foi mais para rever amigos e parentes, e apresentar o novo integrante da família.
Visitamos a filha recém nascida de um casal de amigos e nos reunimos na casa de nossos anfitriões para um bom almoço de domingo.

ABRIL 2011

Mais uma vez pegamos um feriado prolongado e enfrentamos mais 12 horas de onibus até Rio de Janeiro. Dessa vez tinhamos um dia a mais e queria ter mais liberdade com o tempo, fazer algum passeio mais turistico então resolvi ficar duas noites em um albergue em Botafogo e a última noite dorminos na casa do irmão do Edison na Tijuca.

O Albergue "Cultura Carioca", infelizmnete não tenho nenhuma foto, era uma casa que foi adaptada para receber turistas despojados e mochileiros de todo canto, esses dias que passamos lá a maioria era Brasileiros mesmo. Compramos duas diárias em quarto coletivo em site de compras coletivas pela metade do preço, achei justo o que paguei, o dobro seria bem caro pelo que oferecem. Nosso quarto era o último depois de subir dois lances de escada bem íngreme, para uma criança que andava a pouco tempo me deixava bem insegura todo vez que tinha que subir ou descer. Ficamos em beliches o João dormiu comigo, ele não deu trabalho algum no hotel, como saímos muito ele chegava bem cansado e dormia fácil, mesmo com o entra e sai no quarto durante a noite, foi tudo bem tranquilo. O pessoal também foi super legal conosco, tanto os  hospedes que tentavam fazer silencio pela criança e os funcionários do albergue,  que sempre deixavam colocar Discovery Kids para ele na sala de tv coletiva, o café da manhã era o bem básico, mas exatamente aquilo que estamos acostumados, café, leite, pão francês fresquinho com presunto e queijo.

No primeiro dia logo depois de nos arrumar no albergue, saímos para dar uma volta na Lagoa Rodrigo de Freitas, pegamos um lindo dia, brincamos no play, andamos de quadriciclo, e a criança encasquetou que queria andar de bicicleta também, já que estava vendo uma porção de crinaças com suas bicicletas. Tinha para alugar mas só as maiores que ele não alcançava o pedal direito, mas só montando ele na bike para experimentar e entender que aquela bike não era legal para ele.




                        






Tivemos que fazer um pit stop a noite em um P. A. infantil, ah acabei esquecendo de dizer que na primeira vez também fomos, é que o João é alergico e acho que 12 horas no ônibus não fez bem para ele as duas vezes. No mesma noite que chegamos a febre e tosse vieram, da primeira vez como ainda não tinhamos muita experiência fomos em uma clinaca particular, pagamos uma nota a consulta e medicamos, no dia seguinte já estava bem, dessa vez fomos a uma UPA em Botafogo, fomos atendido super rápido, e bem atendidos, medicamos e no dia seguinte bem novamente, só fiquei com receio de levar a praia, pois a água é sempre bem gelada, então nos enfiamos num shopping, um não, dois, fui "visitar" o shopping na Barra que trabalhei por dois anos e depois a noite no shopping em Botafogo para dar janta para o João. Como era semana da páscoa o shopping tinha umas atividades para criança e até foto com o coelhinho ele tirou.



Tentamos também ir ao Cristo Redentor, bem no dia do feriado e com um lindo ceú azul, ou seja, nós e todos os cariocas de folga + todos os turistas da cidade pensaram a mesma coisa. Se pretente ir ao Cristo ou Pão de Açúcar no feriado, vá cedo, se não ficará o dia todo numa fila, nós nos atrasamos e chegamos lá por volta das 11h a rua que leva à estação do bondinho para chegar ao topo do Corcovado já estava intransitável, tanto que descemos do ônibus e seguimos andando, e ainda chegamos primeiro que o ônibus, lá estava muitooooo cheio, pela conversa do pessoal da fila só conseguiriamos ingresso para o trem das 18h, então desistimos e seguimos para outro passeio.

O último dia aproveitamos uma praia pela manhã com os tios do João , foi bem gostoso, depois já nos aprontamos para o retorno.









terça-feira, 5 de novembro de 2013

Brotas a terra da aventura e descanço


Dezembro 2009

Nossa primeira viagem em família foi para Brotas- SP, em Dezembro, uma viagem bem curta, mas enfrentamos o busão e foram 3 horas de viagem para apenas 100 km, ou seja vai parando em tudo que é cidadezinha do caminho.

Depois de mais de um ano só em casa, estavamos precisando de uma escapadinha, mesmo que fosse tão pertinho, apenas um final de semana e para um lugar que já conheciamos bem, pois moramos lá alguns meses antes do João Rafael nascer

Resolvemos ficar em uma pousada no centro da cidade, pois estávamos a pé e tinha que ser um lugar fácil para andar de um lugar ao outro, já que nem ônibus circular a cidade tem direito.

A pousada que escolhemos foi a pousada do Conde, um casarão transformado em pousada no rua principal da cidade, a casa é muito bonita, conhecíamos o dono que foi bem gentil.
O quarto é bem grande com uma ducha excelente, mas tinha um cheiro de mofo que logo que chegamos incomodou um pouco, mas depois de abrir bem o quarto melhorou, a decoração é toda clean, com cores suaves . A estrutura para crianças é praticamente inexistente, não tinha berço, nem banheira, acabamos improvisando tudo . Levamos sopinha congelada, que deixamos na cozinha do Hotel e podíamos esquentar quando quisessemos, nos deixaram bem a vontade.
O Café da manhã é bem gostoso, servido em volta da piscina, com geleias e pães caseiros . Era a única refeição servida no hotel, também não tem serviço de quarto.
No geral a pousada é boa, mas confesso que esperava mais,  até mesmo pela tarifa que não é a das mais baratas.






Nosso quarto

Saímos para passear pela cidade, fomos até a agência de turismo que trabalhei, tomamos açaí, o primeiro do João. Depois aproveitei para cortar meu cabelo no meu cabeleireiro favorito da cidade. A noite passeamos pela praça principal todo enfeitada para o Natal, conhecemos o famoso Cinema reinaugurado depois de muitos anos fechado, um projeto do cantor Daniel a celebridade da cidade. Alias onde você vai te uma foto dele, é o grande ídolo de todo Brotense.









No dia seguinte almoçamos com um casal de amigos, tomamos o melhor sorvete da cidade , o meu favorito é o de Banana, e logo já deu o horário de pegar o Busão de volta para casa.


Janeiro 2011

Pouco mais de um ano voltamos para Brotas, mais uma vez fizemos um bate e volta de final de semana, dessa vez ficamos na casa de amigos, dos queridos Tati e Paulão,  eles nos receberam super bem e o João se sentiu em casa, correu no quintal, brincou com a cachorra e dormiu super bem !
Dessa vez aproveitamos as aventuras da cidade na medida do possível com uma criança de 02 anos.


Tati e Paulão

Fizemos primeiro um mini rafting pela agência que trabalhei a Eco Ação, e também fizemos a super Tirolesa Canopy Tour* pela agência Mata Nativa, da Tati e do Paulão, além de passear no Parque Aventurah, onde o João se divertiu também no simples playground, as crianças são assim mesmo se divertem desde uma simples brincadeira até a mais mirabolante aventura. Temos um relato mais detalhado  dessa aventura no blog Mãe Mochileira, Filho Malinha.







* O Canopy Tour mudou de nome agora é  Voo do Vale, administrado pelo Parque Aventurah